Artivismo

Em junho de 2013 o Brasil viu, em suas mais variadas cidades, grandes manifestações populares. Em torno de inúmeras reivindicações, elas alcançaram um novo grau de cidadania e participação política, e continham em si um nível inédito de inventividade.

Diversos coletivos e grupos de artistas propuseram novas formas de participação e problematização, se valendo de estratégias estéticas e simbólicas para amplificar suas causas. Junto a isso, o uso da tecnologia e das novas mídias foi essencial para que esses coletivos se articulassem. A internet veio a ser não só um instrumento de organização, mas também de troca, informação e aprendizado, sem hierarquias ou monopólios.

Esse momento de evidência, contudo, revelou uma vontade crescente, que já ocorre nos últimos dez anos, de união entre a participação política e ações artísticas e culturais, criando um território novo, cheio de experimentação estética e de linguagem.

Artivismo é o nome dado a ações sociais e políticas, produzidas por pessoas ou coletivos, que se valem de estratégias artísticas, estéticas ou simbólicas para amplificar, sensibilizar e problematizar, para a sociedade, causas e reivindicações sociais. 

O artivista encontra na arte um convite à participação, expressando através de inúmeras linguagens, como a arte de rua, o vídeo, a música, a performance e a intervenção, os seus pontos de vista e leituras sobre a vida e o mundo, problematizando sua realidade.

Adaptado de: https://outraspalavras.net/blog/artivismo-criacoes-esteticas-para-acoes-politicas/