“O que eu quero é uma revolução!”

Claudia Madeira

O título deste artigo teve a sua origem numa frase anónima que vi escrita por duas vezes nas paredes do campus da Universidade de Lisboa. A frase era: “O que eu quero é uma revolução!”. Em qualquer dessas vezes as frases foram apagadas com pinceladas de tinta branca deixando-me apenas a sua memória. Não tive tempo de as fotografar à altura, não sei se alguém o fez, também não sei se foram escritas apenas essas duas vezes ou mesmo se foram escritas pela mesma pessoa.

Link: https://journals.openedition.org/cadernosaa/930